14 abril 2006

A herança.

Um dos efeitos do mandato de José Machado à frente dos destinos do PSD vai agora começar a fazer-se sentir. Os membros por ele escolhidos para a Assembleia de Freguesia só agora vão começar a brilhar.
Um deles já começou. Paulo Couto, foi eleito nas listas do PSD, mas acha que está lá também como cidadão. E vai daí decidiu votar lado a lado com o PS, e contra o PSD.
Paulo Couto justifica que entendeu dar um "voto de confiança" à Junta de Freguesia.
Note-se que o que estava em causa eram as contas de 2005. Ora, em finais de 2005 o Sr. Paulo Couto achou bem fazer parte de uma lista que dizia precisamente que a Junta socialista não devia merecer a confiança dos Joanenses.
Agora mudou de ideias e acha que a "gestão" da Junta foi boa.
Se tivesse um pingo de vergonha, demitia-se.

8 comentários:

Anónimo disse...

Este PSD de Joane está irreconhecível.

Anónimo disse...

Ao Paulinho um abraço de solidariedade, mas se não estás preparado deixa-te estar em casa e não abras a boca, és tão bom rapaz.

Anónimo disse...

A desculpa foi que o Sá Machado na altura da votação lhe deitou um olhar mortífero, e ele tem interesses profissionais e não pode dizer que não, convenhamos que é uma boa razão a vida custa a todos. À uns meses atrás o Sá Machado era um filho da mãe, agora fez uma boa gestão tenham vergonha.

Anónimo disse...

Onde raio está a direcção do PSD de Joane e membros da bancada da Assembleia de Freguesia, que pela primeira vez em 10 anos não foi capaz de questionar o Sá Machado sobre um relatório de contas (uma única pergunta que fosse), todos os que se abstiveram deveriam ser expulsos só o Paulo Couto esteve bem, e foi coerente não criticou mas votou a favor, já os outros tenham paciência....

Primavera dos Cemiterios disse...

O PSD de Joane faz me lembrar o PSD concelhio durante os primeiros mandatos do Dr. Agostinho Fernandes. Só tiros nos pés. E pelo que sei, os candidatos para o núcleo são muito fraquinhos. Quando é que o Vereador José Santos deixa o conforto da cadeira no Ambiente e assume de uma vez a responsabilidade do Partido na sua terra?

DOI MESMO disse...

O Paulo esteve bem! Mostrou que o seu objectivo não é ser do contra.
No tempo do Ricardo, todos tinham que seguir o seu raciocínio, ou então estavam mal. Foi por isso que o Porfirio se demitiu, pois tenho a certeza que ia fazer o mesmo que o Paulo algumas vezes.
A abstenção é um tiro no pé, mas ainda terão tempo para dar muitos.
Um abraço para o Paulo, bem vindo.

Anónimo disse...

Como funcionava no tempo do Ricardo não sei, mas que era bastante mais interessante não tenho dúvidas, pois discutia-se a valer e por muitas vezes Sá Machado reconheceu a forma acutilante e precisa de como se fazia oposição, agora estes meses antes das eleições diziam que era uma má gestão e depois vota a favor tenham dó é mesmo de amadores.Alguém que nos socorra pois estamos perdidos.

Anónimo disse...

Esse peertence aos encostados?