02 junho 2006

É proíbido matar-se.

A partir de hoje, tomar banho em zonas vigiadas em alturas em que tal esteja proíbido passa a ser punido com multa.
É tão bom ter um governo que se preocupa com as pessoas. Aguardam-se novas proibições com multas.
Fumar, não tarda muito também vai ser proíbido. E depois comer comida pouco saudável também será não só proíbido, como, quem sabe, punível com multa.
E assim, sob a capa de virtuosas medidas, se vai encaminhando os portugueses para a servidão.
Quando é que os portugueses terão direito a um governo que governe e faça o que tem a fazer e deixe as privadas vidas dos cidadãos em paz?
O tempo em que os suicidas eram punidos com prisão já lá vai.
Mas se não temos cuidado, ainda vai voltar.

7 comentários:

Bandeira vermelha disse...

Parece-me que é consensual o facto de morrerem demasiadas pessoas por afogamento na época balnear.
Não descortino de que forma com esta medida se está a "encaminhar os portugueses para a servidão".
Repare que estes suicidas têm profissionais que poderão também morrer na tentativa de um suposto salvamento...Se as pessoas não respeitam as leis, há que as tornar mais severas. Lembre-se do cinto de segurança, do transporte de bebés, etc.
Com isto, não quer dizer que concorde com a governação que está a ser levada a cabo, só acho que esta medida é necessária e apropriada.

Anónimo disse...

O cinto de segurançapara bebes é um bom exemplo.
Os pais não podem transportar os filhos no seu carro semcadeira especial. Mas se o fizerem num táxi, já podem.
A questão é a da liberdade individual. Se V. quiser tomar banho num dia em que nada o aconselha, deve ser livre de o fazer. A questão que coloca é justa, que é o de os nadadores salvadores arriscarem a sua vida nesses salvamentos. é simples. Não devem arriscar. O que não me parece é que o estado se veja no direito de legislar sobre actos e situações que apenas aos próprios dizem respeito.

bandeira vermelha disse...

Dado que este acto não diz "respeito apenas ao próprio", a questão é a delimitação da linha tangencial que diferencia a "liberdade individual" da "pura anarquia".

Anónimo disse...

Permitam-me uma questão. Todos indivíduos têm direito à liberdade individual e à não servidão certo? E se o indivíduo for menor de idade, pode decidir se arrisca a vida ou não?

Não resisto e mais uma dúvida me assalta e se alguém se tenta suicidar, o estado deve assistir impávido e sereno? Nada de chamar o INEM, pois não queremos conduzir o indivíduo a servidão. Decidiu acabar com a vida está no seu direito.

Presumo que este arremedo a favor da liberdade individual, venha no esforço de contenção do défice através da diminuição dos funcionários públicos, tão do agrado dos mentores do fórum.

Anónimo disse...

Por falar em mentores do fórum, já se sabe quem são?
Sempre é os PSD`s encostados?
Quem quer que seja os meus parabéns, não desistam nunca.
Sempre a malhar em quem precisa.

Anónimo disse...

Really amazing! Useful information. All the best.
»

Anónimo disse...

Your website has a useful information for beginners like me.
»