07 fevereiro 2006

Cuidado, os Muçulmanos estão indignados.

Em Setembro, um obscuro jornal dinamarquês publicou uns cartoons com o profeta Maomé.
Quatro meses depois, os pobres muçulmanos descobrem que os cartoons foram publicados e reagiram indignados. E como é uma reacção de indignação? Bom, ao que parece inclui apedrejar igrejas católicas, matar um padre católico, incendiar embaixadas, e queimar desportivamente bandeiras de países europeus.

Na Europa, e em Portugal, não falta quem diga que é preciso compreender isto.
Freitas do Amaral, o nosso MNE é uma dessas pessoas. Mas compreender o quê? O que é que pode justificar tanta violência?

Se os muçulmanos gostam e querem viver numa sociedade que trata de forma diferente homens e mulheres, onde não há liberdade de imprensa nem de expressão, é lá com eles. Eu vivo bem com isso.
Mas agora já querem interferir com a nossa liberdade? Querem decidir que cartoons podemos ou não podemos publicar? Não gostam dos cartoons? Pois bem, nao leiam os nossos jornais.

7 comentários:

Anónimo disse...

Não é só o MNE que diz isso. Não faltam proeminentes figuras da igreja que assinam por baixo; elementos do aspirante a poder PSD que dizem o mesmo, com o sentido de Estado que o exercício do poder parece exigir. Não seja sectário. Eu posso reagir da mesma forma que o senhor reage, mas não exerço nenhum cargo que obriga ao relacionamento institucional com países islâmicos mais ou menos de orientação religiosa.

www.joaneemaccao.blogspot.com disse...

diplomcia acima de tudo é o que se trata. Não condeno os cartonistas pelos desenhos que fizeram, apenas penso que quando a fogueira já está alta não se deve deitar mais lenha. Ao contrário dos cartonistas o governo inglês condenou um ima a 7 anos de prisão. Para mim esse é o melhor cartoon que se poderia ter feito. Punir realmente os culpados. Os muçulmanos não são todos iguais, os cristãos também não, e muito menos os politicos. Liberdade de expressão sempre, mas contextualizada e tendo em conta os sinais dos tempos, acima de tudo inteligente.

Anónimo disse...

Esta é uma questão muito simples para mim, e Pacheco Pereira, no seu Blog, foi quem melhor a descreveu: "ou há liberdade ou não há".
Se é condenável (!) publicar as caricaturas, o que dizer desses fundamentalistas que andam por aí a espalhar a violência e o terror?
Quanto ao nosso MNE, infelizmente é aquela vergonha a que nos vamos habituando...
É um triste lambe-botas que só envorgonha a nossa bandeira!

EU disse...

Toda a gente tem direito de gostar mais ou menos de algo que vê ou lê. Não pode é por causa disso (boa desculpa arranjaram eles!) aproveitar e destruir tudo à volta deles, matar, queimar bandeiras... Mas será que o Ocidente deve "baixar as orelhas" a isto, ou levantar bem alto a sua voz para por cobro a isto?

Anónimo disse...

Não concordo com a publicação das caricaturas. Ponto um. Mas no meu país posso discordar e até reagir publicamente, manifestando a meu descontentamento e desacordo. Aquilo que se passa com estes muçulmanos que reagem desta está de facto relacioando com a doutrina que se prega. Não vejo nada na religião muçulmana que fale em perdão, compreensão, compaixão, fraternidade, etc..etc..etc.. Eles reagem assim nesta questão e em todas as outras que não estejam de acordo com o pensamento religioso dos lideres. Por muitas observações e criticas que possamos encontrar na religião católica ela reflete sem dúvida, muito mais aquilo que deve ser a humanidade e o seu caminho a seguir...

EU disse...

Volto aqui, pois passados uns dias, cada vez fico mais estupfacto! Não é que o "terror" vai vencendo?! Em vez de uma EUROPA unida a uma só voz (e alta!), temos um bando de países assustados, cheios de tremores, sempre com paninhos quentes, com receio que esses povos "democratas", "pacifistas", "respeitadores do direitos humanos", etc, etc, fiquem melindrados... E assim o terror vai vencendo, roubando-nos os nossos direitos e tolhendo as nossas opinioes!

Anónimo disse...

Realmente a Religião é algo que serve os interesses de pessoas bem baixas, a religião serve para controlar pessoas, dar ordens e manipular politicamente, culturalmente e ideologicamente.


Desta forma a religião muculmana é a responsável por esta onda, coitados dos povos controlados por esta religião são apenas marionetas, estão numa fase de atraso anterior á idade média.

A culpa de tudo isto é dos responsáveis religiosos.

Se formos inteligentes verificamos nestes posts e em outros blogs que os que criticam os cartoons são católicos ou de outra religião.

Também estão controlados por poderes e forças... ou seja não são livres de pensamento, embora isso não justifique que não exista o respeito pelo próximo e pela liberdade individual.

Mas para que serve um carton, não é mesmo para criticar?

É obvio que que fez o cartoon era para criticar, não chegamos a uma tão pouca inocência, mas a contraposição de ideias, a critica não é das sociedades evoluídas, liberais e democráticas?

Quem é isento de critica?
" ou como no pensamento primitivo ou sociedades ordenadas por religiao, como na idade média e na inquisição, quem critica tem de ser morto, este é o lema do mundo muculmano... "


Deuses nem por sombras ...
Humanos, demasiado humanos ...
Animais, demasiado animais...