21 fevereiro 2006

Um partido traumatizante?

A história dos ex-presidentes do CDS é uma história atribulada.

Freitas do Amaral, depois de ter sido fundador e presidente do partido, virou à esquerda e acelerou. E vai tão depressa que às vezes até o Bloco de Esquerda tem dificuldade em acompanhar.

Lucas Pires, outro ex-presidente do CDS, acabou mais tarde por ser euro-deputado nas listas do PSD.

Manuel Monteiro... bem... Manuel Monteiro, depois de ter sido presidente do CDS achou que não era apenas o Partido que precisava de renovação, era a própria Democracia, e fundou um partido para o fazer. Claro que, da mesma forma que uma andorinha não faz a Primavera, também uma andorinha não chega para fazer um novo partido, e Manuel Monteiro dedica-se agora a fazer tristes figuras.

De tudo isto ressalta uma pergunta: Que é que o CDS tem, que os seus ex-presidentes não aguentam por lá?

21 comentários:

Anónimo disse...

O CDS, assim como o PP são um espécie em vias de extinsão. No parlamento são tantos que cabem no Taxi do Porfirio Carvalho. Ao nível dos Municípios são aquilo que se asemelha a insectos parasitas que estão sujeitos a que um dia destes venha por aí fora um gripe e vai tudo de uma vez...

Viva a Democacia-Cristã disse...

Neste blog há muitos PSDs encostados, descansem que a gripe para já é só nas aves.

Encostado disse...

Há coisas que são dificeis de entender:
O que é que tem a ver um post acerca do CDS com o encosto dos "PSDs" (sic)?
E com a gripe das aves?

O que me parece, é que se há alguém encostado, é o CDS ao PSD.
Mas quanto ao resto, ficamos felizes por agora nos chamarem de "PSDs" (sic). Já nos chamaram de socialistas, imagine...

Primavera dos Cemiterios disse...

Este blog tem alguma dificudade na manutenção do nível de discussão. Todos os Partidos com História têm evoluções naturais com os seus militantes e lideranças. PSD e PS já tiveram líderes que trocaram de partido, a CDU viveu uma sangria de muitos dos seus quadros, e está ainda mais pujante, e o CDS não é excepção. Com uma diferença: não tem tachos para oferecer e a maioria dos seus quadros não precisam da política para sobreviver. Eu que me considero de esquerda, tenho de reconhecer que muitos dos políticos de esquerda, se não fosse a política, o que é que faziam? Exemplos de Jorge Coelho, Armando Vara, Fernando Gomes, Mesquita Machado, António Magalhães; todos doutores de secretaria, estavam, na melhor das hipóteses, atrás de um balcão?! Por isso, mais do que saber por onde andam aqueles que foram importantes,importa-me o contributo que cada um pode dar ao País. E a Democracia faz-se da pluralidade! Esqueçam lá os ressentimentos e as invejas paroquianas!

ForumJoane disse...

A solidariedade é uma coisa muito bonita, "primavera".
Fica-lhe muito bem, sendo de esquerda, doer-se tanto pelo CDS.

Quanto à manutenção do nível de discussão, fazemos os possiveis. Mas não é fácil, sobretudo estando nós tão ressentidos com as invejas paroquianas.

De qualquer forma, sendo V. uma visita habitual, agradecemos-lhe a simpatia, e esperemos que o seu alto nível nos contagie, assim como que por osmose.

Ala laranja disse...

Mas porque será que o PSD continua a fazer coligações aqui no Concelho? Se não precisam porque as fazem?
Será que o Arq. tem medo do Nuno Melo como candidato à autarquia?
Acho que não devia, o PSD segura-se por si só.

Anónimo disse...

Antes os deputados do cds no taxi do porfirio carvalho...do que as mulheres de alguns psds.....porque do cds só os deputados porque as mulheres essas não procuram taxis alheios.....

o26deabril disse...

Realmente o primeiro comentário aqui publicado é certamente fruto de uma mente superior que concerteza se caracteriza por uma altivez de pensamento,,apenas encontrado nessa elite que são os fundamentalistas do cavaquistão...senão veja-se a seguinte afirmação "Que é que o CDS tem, que os seus ex-presidentes não aguentam por lá?
de facto quer o freitas do amaral quer o lucas pires sairam do cds...por serem europeistas, logo á altura tendo o cds optado por uma visao da europa mais ceptica do que a que eles defendiam sairam...Mas analisemos o cds de há 8 anos a esta parte apenas teve 2 presidentes..qdo imagine-se o PSD esse grande partido que se caracteriza pela estabilidade, coragem, espirito reformador, pisca..pisca (quer á direita quer á esquerda) conforme as conveniências..no ultimos 5/6 anos teve outros tantos presidentes...para todos os gostos..desde a sorte grande (marcelo r. sousa) até á terminação (marques mendes) tendo pelo meio chernes e meninos guerreiros..são os maiores...mas quem os ouve..tal é a arrogancia até parece que tem uma liderança prai com dois metros..vá lá tirem os binoculos..estão a ver afinal tem só 1.50 metros...

a terminação disse...

Essa do europeísmo tá muito bem vista sim senhor.
Mas falha no essencial. Paulo Portas, mudou de posição. Passou de "eurocéptico" a "eurocalmo", sem ter mudado de partido. Mudou ele e o partido.

A argumentação que V. apresenta, é muito gira mas não responde à pergunta: "que é que o CDS tem que os seus presidentes não aguentam por lá"?

viva o cds disse...

Ficam os bons, partem os fracos...

voltar à carga disse...

É uma boa resposta.
Clara que se lhe segue uma outra pergunta: Porque é que elegem tantos fracos para Presidente?

viva o cds disse...

Não sei, porventura para ombrear com o psd.

Anónimo disse...

Ahhh, talvez.
E assim, com Presidentes tão fracos como os do PSD, de vez em quando o CDS lá chega ao Governo, pendurado no parceiro.
É uma boa interpretação.

viva o cds disse...

pois... não vejo é outra maneira de o psd formar Governo, talvez sem maiorias...

Anónimo disse...

Oh meu caro... Já lá estivemos sozinhos e o resultado foi o maior período de desenvolvimento do Portugal moderno.
Claro que isso implicou reduzir o CDS à sua expressão natural: um táxi.

Anónimo disse...

XPTO
Se o CDS é assim tão fraco, porque continuam a pedir coligação.
Um táxi? Nós não andamos à boleia , o PSD sim! Façam um repasso na vossa memória.

Anónimo disse...

"Oh meu caro... Já lá estivemos sozinhos e o resultado foi o maior período de desenvolvimento do Portugal moderno." com um milhao de contos por dia a entrar no nosso país...pudera...fizemos auto estradas com força...agora resta-nos pagar a factura deixada por esse senhor "o avô do defice"...Mas foi um periodo porreiro era sempre interessante ver as noticias ..ele eram cargas policiais com vitimas mortais..sobre os estudantes ..sobre os utentes da ponte Oliveira Salazar...como homenagem á sua memoria..(qual 25 de abril qual quê), dezenas de hemofilicos contaminados com sida..porque uma ministra foi negligente...anedotas contadas acerca de pessoas com doenças graves..e muito muito mais ..sabem a vida não se faz só de alcatrão..doutra forma seria muito negra não acham...

sangue azul disse...

Tristes os PSds que lembram com saudade e nostalgia o tempo do tipo de boliqueime, no fundo é o retrato do partido... homens que vêm do povo, torneios de ping-pong nas sedes, vinho verde a martelo com bolo rei e, quando há rios de dinheiro comunitário, fazer obra a pagar em trinta anos.

Sangue laranja disse...

Reparo, com satisfação, que não contestam o essencial. Foi o período de maior desenvolvimento do Portugal moderno.
Quem tiver um pouco de memória e se lembrar do que era Portugal em 1985 e depois ver o que era em 1995. Não há comparação.

De resto, registo que um saudosista do antigo regime ("ponte Salazar"...) acha que o estado não deve manter a ordem pública face a manifestações não autorizadas (caso da ponte) ou violentas (como era o caso das manifs de estudantes, que numa das vezes tentaram invadir a AR e a atacaram à pedrada).

Perrsiste que Cavaco vai ser Presidente. Aguentem!

sangue azul disse...

ok, espero que quando ele fôr jantar com os Reis de Espanha se lembre de fechar a boca pra mastigar e de não palitar os dentes com a unha.

Anónimo disse...

A petulância dos que se acham superiores por nascimento é uma coisa que sempre me impressionou.
Já agora, sabia, caro "sangue azul", que o Rei de Espanha, que V. tanto admira, tem fama de ser um tonto? Pois, mas como tem "sangue azul" é Rei.
Cavco tem origens humildes e subiu na vida a pulso.
Tudo bons argumentos a favor da Républica.