16 fevereiro 2006

O que acontece a uma criança que rouba pão no Irão

Um nosso leitor ao qual agradecemos enviou-nos a seguintes imagens e texto:

“E estão eles indignados por causa de umas caricaturas...
Vou enviar em anexo, e ficará ao critério a publicação de um rapaz a ser castigado por ter roubado pão.
Passou-se no Irão...
Infelizmente, o que se vê nestas fotos é real e recente. Esta criança Iraniana roubou pão e está a ser castigada.
Indignem-se e passem…”





10 comentários:

Anónimo disse...

O pormenor do cobertor por baixo do braço é delicioso...

Agra a sério. Mais do que o castigo em si (já se sabia que isto se fazia) é a expressão de puro pavor no rosto desta criança.

Isto é real e não são umas carantonhas mal desenhadas.

Também isto é feito em nome de Maomé?

Anónimo disse...

E que tal umas imagens de Abu Grahib? E de Guantanamo? E que tal das 200 mil pessoas, a maioria crianças, que morreram na sequência do embargo norte-americano ao Iraque? E que tal....?
Não vamos por aí! O caminho da demagogia fácil não é o mais indicado.

Anónimo disse...

Sabe qual é a diferença entre Abu Grahib e estas imagens?
Em Abu Grahib os soldados foram julgados e condenados.
Nestas imagens os responsáveis não só andam â solta, como são eles os representantes da lei.
Não compare a violencia como excepçao à lei, com a violencia como lei.

Anónimo disse...

Ficamos a saber que na sua visão a violação chocante dos direitos humanos, tal como são patentes no caso de Abu Grahib (esse atol saído da deriva belicista e insane de Bush e companhia, em busca de armas de destruição maciças falsas) são legítimas desde que se trate de "soldados julgados e condenados"!
Para que não restem dúvidas: as imagens da criança (dizem que valem mais que mil palavras ...wag the dog) são duras. Mas por cada imagem que sustenta posições sobre a alegada superioridade ocidental pode ser confrontada com outra que prova o contrário.

Anónimo disse...

A violencia de Abu Grahib não é nem legitima nem aceitável. Não escreva palavras que eu não escrevi, nem mas atribua. Escrevi, e repito, que os regimes é que não são comparáveis. Num, os infractores são julgados (e condenados) e no outro os autores da violência são a "lei".
V. acha que isso não faz diferença alguma. Eu acho que faz toda a diferença.

Anónimo disse...

A "superioridade ocidental" não é "alegada". É real.
Gostaria de viver num país islâmico?

Anónimo disse...

Se fazem isto a uma criança que rouba pão, imaginem o que nos fariam se vivessemos num país islâmico e escrevessemos estes comentários...
Essa para mim é a diferença!!!

Anónimo disse...

Caros amigos fui eu quem mandei as fotos, e estou mais uma vez indignado por ainda haver pessoas, que para mim não são pessoas, que conseguem defender estes actos. Gostavam de ver os vossos filhos ou familiares a serem horrorosamente castigados desta forma? Tenham dó..........As imagens falam por si.

Anónimo disse...

Subscrevo.

eu disse...

Para quem acha que a tal "superioridade ocidental" em termos de liberdades e direitos não é um facto, podem sempre ir viver para esses países tão "livres" e "justos"....